Bairro de Alfama e Rio Tejo em Lisboa

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Não sou capaz (António Torrado)



A águia de penugem branca ainda não tinha saído do ninho. Via o pai e a mãe, num voo alto, rente às nuvens, e pensava: "Nunca vou ser capaz". O pai e a mãe traziam-lhe comida no bico. A aguiazinha devorava os petiscos, gulosa.

- Não engulas tudo de uma vez, que ainda te engasgas - recomendava-lhe a mãe.

Mas a aguiazinha não queria saber. Tinha fome, muita fome, uma fome insaciável, que ela não sabia controlar. Algumas penas de brancas passavam a cinzentas. O corpo ganhava elegância. As asas cresciam.

Os pais iam e vinham, num voo planado, que era a admiração da filha. "Nunca vou ser capaz de fazer o mesmo", pensava.

- Amanhã começas a aprender a voar - disse-lhe o pai.

Mas, nesse dia, choveu e a lição foi adiada. Os pais é que não desistiram de caçar. Deixaram-na só, no quente do ninho.

Estava ela aconchegada e contente pelo adiamento da lição, quando sentiu um roçar de perigo, nos ramos perto. Era uma serpente, que se desenroscava por um tronco, em direcção a ela.

A aguiazinha piou, aterrorizada. Eriçaram-se-lhe as penas. Bateu as asas, para afugentar a intrusa de língua silvante. A serpente continuava a deslizar para ela, segura da presa. Ia armar o último salto. Ia destroçá-la. Ia comê-la.

Bateu a águia as asas com mais força e suspendeu-se no ar. Num impulso de pânico, largou o ninho. Ia cair. Não caiu.

Soltou-se no ar, a curta distância da árvore que abrigara o ninho. Sentiu uma tontura. Agarrou as patas a um ramo, mas o ramo cedeu. Agitou as asas com mais força e elevou-se nos ares. Tudo aquilo lhe parecia impossível. Ela voava.

Quando os pais regressaram, a aguiazinha, de asas distendidas, como se quisesse abarcar o céu num grande abraço, voou, feliz, ao seu encontro.

António Torrado

Mais uma das suas Histórias do dia



O Centro Histórico de Macau é Património Mundial desde 2005



10.º aniversário da inscrição do Centro Histórico de Macau na Lista do Património Mundial (2015)

O Centro Histórico de Macau constitui não só um testemunho do desenvolvimento histórico de Macau como também um importante recurso cultural da cidade e a raiz cultural e força motora do seu desenvolvimento futuro. No dia 15 de Julho de 2015, o Centro Histórico de Macau celebra o 10.º aniversário da sua inscrição como Património Mundial, ocasião pela qual o Instituto Cultural organiza as “Actividades Comemorativas do 10.º aniversário da inscrição do Centro Histórico de Macau na Lista do Património Mundial”, tendo como objectivo atrair o interesse da população em geral pelo património cultural de Macau bem como sensibilizar o público para o valor universal do Centro Histórico. As actividades programadas incluem diversas novas instalações histórico-culturais em serviço, exposições, um seminário e novas publicações, espectáculos culturais, entre outras actividades em destaque, estando as mesmas abertas à participação do público.




quinta-feira, 19 de abril de 2018

Estas pastas não se podem comer

Uma pasta escolar


Uma pastinha para papéis


Uma pasta para computador portátil


Uma pasta para classificar e guardar papéis, apontamentos...


Várias pastas de cores


Recupero esta mensagem de há vários anos. Alguém da turma de 1º B disse "Eu gosto de pasta". É natural, estamos ainda no primeiro ano. O que é pasta em português? Vejam lá. Essa aluna já sabe que agora deve dizer: "Eu gosto de massa", ou "Gosto muito de massa", ou até "Adoro massa".


_________________________________________________________________________________

Revendo vocabulário logo no início deste ano letivo, os alunos da turma de 2º D não se lembravam no outro dia de como se dizia "cartera (de libros)" em português. Ai o verão...

Mas vejam lá como é facil! Temos cá um dos nossos velhos falsos amigos, que vocês já conheciam do ano passado!

Aliás, essa palavra serve também para a nossa "carpeta" e "archivador". Vejam quantas pastas, e como veem estas não se podem comer. Se calhar, os ratos, sabe-se lá.



Duas pererecas


Diz-nos o dicionário Priberam:

perereca

(tupi pere'reka, andando aos saltos)

1. [Brasil] Espécie de rã que vive nas moitas e sobe às árvores.


Perereca-de-Moldura (Dendropsophus sp.)



terça-feira, 17 de abril de 2018

Várias silhuetas

Américo Meira - Silhuetas na aurora


Alunos do 2º ano, todos vocês conhecem a palavra silhueta, já a vimos nesta mensagem de janeiro, "A silhueta do Sandeman", e hoje de manhã numa das fotografias de Matthias Uhlig. Não se enganem com a nossa língua, reparem no lh da palavra portuguesa.

Já agora, podemos aprender qual a origem desta palavra. A Infopédia diz-nos que provém "do francês silhouette, «idem», de E. Silhouette, antropónimo, político francês, 1709-1767"

Reparem nas fotografias: há silhuetas de árvores, de pássaros, de um cão (acho eu; ou será outra pessoa?) e de várias pessoas.


Eduardo Hanazaki


Eduardo Hanazaki


Francisco Oliveira


Gustavo Minas



Vamos lá descrever! - V (Matthias Uhlig)


Duas fotografias de Matthias Uhlig: a primeira, a preto e branco, em Portugal, e a segunda, a cores, no Brasil.

Vamos lá descrever!






segunda-feira, 16 de abril de 2018

Uma cadela chamada Morena



Um olhar bem bonito o desta cadela, não acham? O autor da fotografia é Jairo BD.





Mulemba ou mulembeira


Vejam que belo exemplar de mulemba, que também é chamada (árvore é palavra feminina, lembram-se?) mulembeira, como podemos ler aqui:

"Nada como poder dormir na sombra de uma "Mulembeira"... árvore de folhagem densa, que possibilita o descanso de qualquer guerrilheiro ou viajante. As suas qualidades são de tal modo numerosas, que também serve de abrigo às brincadeiras de crianças de uma escola primária da localidade de Camama."

Blogue Pamim





sexta-feira, 13 de abril de 2018

Vamos lá descrever! - IV (Pablo Utrilla)


Estamos no nosso país, na Andaluzia, na cidade de Granada, e vamos aprender como é que se diz "músico callejero" em português com estas duas fotografias de Pablo Utrilla: Músico de rua.




E aqui, em direto, num vídeo, um músico de rua no Rio de Janeiro:





quinta-feira, 12 de abril de 2018

14 locais a visitar na Cidade do Porto



Aqui podem ver 14 Locais a visitar na Cidade do Porto - Portugal, entre muitas outras opções que podem observar na Cidade apelidada/classificada em 2017 de "Melhor Destino Europeu 2017".